sexta-feira, 14 de abril de 2006

Tolerância de ponto = Tolerância zero II

Um aspecto a acrescentar ao que disse há dois posts atrás: só falta saber se os deputados da Assembleia da República que se pisgaram mais cedo (não deixando de assinar o ponto, no entanto) também se metem nas tascas a sorver umas cervejolas. Afinal não serão eles um retrato fiel da sociedade?