sexta-feira, 11 de agosto de 2006

Portugal no seu melhor

Padre ameaçou não enterrar guardas por ser multado

Os militares da GNR de Valpaços que precisem de recorrer aos serviços do pároco local nos próximos tempos poderão ter em mãos um grave problema. Pelo menos, se o padre Manuel Alves cumprir a ameaça que terá feito. Desde o púlpito e perante dezenas de fiéis. Irritado por dias antes ter sido multado, o sacerdote terá aproveitado a missa de há quase três semanas para anunciar o “corte de relações” com as autoridade e comunicar que, a partir de agora, os GNR’s, e seus familiares, não poderiam contar com ele nem mesmo para funerais. No posto da Guarda, a situação é motivo de chacota. “Depois de mortos tanto nos faz, que nos embalsamem e que nos ponham aqui no quartel!”, comentou, ao Semanário TRANSMONTANO, um militar, em tom de brincadeira. Sobre o assunto, do padre Manuel Alves, o Semanário TRANSMONTANO conseguiu apenas ouvir insultos e ameaças: “Vai ganhar a vida para outro lado! jornalistas de merda!”, foram as respostas do pároco, que, completamente irado, referiu ainda: “Não te autorizo a escrever nada e se o fizeres vais-te ver comigo!”. “Não falais vós da minha obra!”, concluiu o pároco, em tom alterado.Ao que o Semanário TRANSMONTANO conseguiu apurar, esta não terá sido a primeira vez que o padre foi multado. E o local será sempre o mesmo. Um pequeno largo junto à Igreja, onde foi proibido o trânsito e o estacionamento, depois do espaço ter sido requalificado pela Câmara. No local, são apenas autorizadas cargas e descargas. Aliás, Manuel Alves terá sido um fervoroso adepto da proibição do estacionamento naquele espaço.“Ele é um cidadão como outro qualquer. E não tem nada que ir para a missa pôr a população contra a GNR!”, comentou, a propósito, uma valpacense, que preferiu não ser identificada. “Sabe como é, a gente está sempre a precisar!”, justificou. “Por que é que ele não pede à Câmara uma placa para poder lá estacionar. Enquanto não a tiver nós só fazemos a nossa obrigação: cumprimos o que diz o código da estrada”, concluiu outro militar, também, sob anonimato.


Esta notícia – absolutamente deliciosa – vem no “Semanário Transmontano” de hoje.

Mas o padre Manuel Alves é um poço cheio de talento. Também as questões políticas não lhe passam ao lado: para atingir “inimigos” como o ex-presidente da República, Jorge Sampaio, não hesita em usar o púlpito. E mesmo quando se trata de elogiar “amigos” como Cavaco Silva”, é ao altar que recorre…

Leia a notícia na íntegra aqui.

Só vejo uma razão para este comportamento anómalo: o senhor prior está possuído pelo demónio. Aconselho vivamente os fiéis de Valpaços a contratarem um exorcista. Remédio santo.