sábado, 15 de dezembro de 2007

Um palavra vale mais do que mil imagens (?)

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

S.O.S. (brincar aos videoclips)


SOS.wmv

Esta música fará parte da banda sonora de uma curta-metragem que tenho em preparação.

sábado, 22 de setembro de 2007

Verão o ano inteiro



Scarlett Johansson canta "Summertime". As imagens são do filme "Lost in Translation".

Como diz o José Duarte, para "ouver" todos os dias.

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Soluções fáceis

Em Coimbra, um estudante inconformado mata a namorada à facada por esta querer terminar o namoro.
Para a convencer a mudar de ideia, esfola-a até à morte. Muito prático.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Começar bem o dia

Feist é uma cantora canadiana que conheci há pouco e fiquei encantado.
Este seu vídeoclip é magnífico.

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Palminhas, olaré!

Um bom remédio que os psiquiatras poderiam receitar aos seus pacientes depressivos seria um CD carregadinho de gravações de fortes aplausos.
Posologia: uma boa dose de palminhas em casa, outra no trabalho, também no carro, no ginásio e, está claro, ao deitar.

sábado, 25 de agosto de 2007

funny cats

Os gatos são o melhor do mundo.

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

O milho já não é o que era

Para ficarem com o corpo ainda mais perfeito, são cada vez mais as mulheres que recorrem às plásticas e ao silicone. Como soe dizer-se, para ficarem boas como o milho. Neste caso, ficam boas sim, mas como o milho transgénico.

sábado, 18 de agosto de 2007

Dilemas, trilemas...

Pergunta Pinto da Costa* – e passo a citar –, “como é que se pode considerar idónea uma pessoa que aos 16 anos foi internada numa casa, não direi de correcção, mas não era para meninas bem comportadas, e que foge de lá, e que aos 18 ou 19 anos, sem casamento, tem dois filhos, e que tem o passado que tem...”
.
Pergunto eu: mas não foi precisamente com este currículo que Carolina Salgado se apresentou a Pinto da Costa, tornando-se sua companheira?
Vá-se lá saber porquê, esse “pequeno” pormenor da idoneidade (ou da falta dela) não foi problema durante os anos em que foram companheiros “inseparáveis”.
.
Outra pergunta: pode-se considerar idónea uma pessoa que tem como companheira uma pessoa que não é idónea?
.
* Em entrevista à Sic Notícias

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Pica Tomilho


Apreciemos estes "torgueiros" de alto nível.

Torga, grande poeta ibérico*


Torga nasceu há 100 anos.


* Já me estou a começar a habituar à ideia.

quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Europa com mais pedigree



Se isto vier a acontecer, pode-se facilmente concluir que a Europa ficará rabota, qual perdigueiro com muito pedigree.

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Integrar ou desintegrar, eis a questão.

Há dias, quando o profeta Saramago disse que Portugal acabará por integrar-se na Espanha, omitiu uma outra profecia: como ele próprio escreveu há já alguns anos, esta sua Ibéria, por sua vez, desintegrar-se-á da velha Europa, partindo à deriva pelo oceano.

terça-feira, 7 de agosto de 2007

Jangada de Pedra


Paulo Araújo 2007

sábado, 4 de agosto de 2007

Serial Killer em apuros III


PA

Serial Killer em apuros II


PA

Serial Killer em apuros I


Paulo Araújo

Lá para o fim do ano, este homem vai estar em apuros...
Irei dando notícias.
Entretanto, contemplemos um pouco mais a sua esguia figura.

sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Homenagem a César Monteiro e ao cinema mudo

Sempre achei que as personagens protagonizadas por João César Monteiro têm um pouco de Charlot, ainda que mais sofisticadas. A solidão, a sua peculiar relação com as pessoas, a sua excentricidade, são comportamentos de algum modo semelhantes. Tanto João César Monteiro como Charlie Chaplin foram geniais, revolucionários e polémicos cineastas. Recordo-me, por exemplo, do polémico filme de Monteiro, "Branca de Neve". Um "escandaloso" filme sem imagem que deu que falar. E foi por causa desta película que resolvi eu próprio realizar uma pequena metragem homenageando, não só João César Monteiro, como Charlie Chaplin e o cinema mudo. Espero que gostem.

Filme.wmv

quarta-feira, 23 de maio de 2007

Sócrates pelo canudo...

Ocorreu-me agora mesmo uma piada fabulosa sobre a licenciatura do Sr. Engenheiro.
Bem...
Não conto porque pode estar alguém a ouvir.

Carlos Chaves

"O Fim Da Fé"

“O Fim Da Fé”é o título de um livro de Sam Harris.
Sam Harris é, entre várias outras coisas, um estudioso das tradições religiosas.
A leitura deste seu livro, já o disse o Rui, devia ser obrigatória.
Por conseguir desmontar argumentos que continuam a manter-nos ligados a rituais, a mitos, a comportamentos e a crenças que nada têm que ver com a nossa vida actual.
Não sendo uma descoberta, a forma como nos leva a pensar mais aprofundadamente sobre o essencial das questões da religião vale bem o tempo dispendido.
Para além disso, oferece-nos sugestões de leitura cuja boa disposição justifica, só por si, o esforço de uma apreciação.
Apenas alguns exemplos:
“Deveria ser fácil imaginar que a convicção na eficácia plena da oração, por exemplo, se torna uma questão acentuadamente pública a partir do momento em que é posta em prática: a partir do momento em que um cirurgião põe os seus instrumentos mundanos de lado e tenta suturar os seus pacientes por meio de orações, por exemplo, ou que um piloto tenta fazer aterrar um avião de passageiros pela simples repetição da palavra «Aleluia» dirigida aos comandos do aparelho, passamos rapidamente do domínio da fé privada para o foro criminal.”
“Para compreendermos até que ponto a nossa cultura partilha da irracionalidade dos nossos inimigos, basta substituir a palavra «Deus» pelo nome da nossa divindade favorita do Olimpo. Imagine o presidente Bush a dirigir-se ao National Prayer Breakfast nestes termos: ‘Por detrás da vida e de toda a história existe uma dedicação e um propósito, estabelecidos pela mão de um Zeus justo e leal’. Imagine o seu discurso ao Congresso (20 de Setembro de 2001), incluindo a frase, ‘a liberdade e o medo, a justiça e a crueldade sempre estiveram em guerra, e nós sabemos que Apolo toma partido pelas primeiras’”.
Carlos Chaves

sexta-feira, 11 de maio de 2007

Verde que te quiero verde

Verde es mi color favorita.
Un foerte abrazo, Miguel.

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Maovimaranis


Manuel Guimarães





Um velho amigo e mestre da improvisação. Fechado em Lisboa, longe do mundo.
Mas também podemos encontrá-lo aqui.

terça-feira, 17 de abril de 2007

Nacionalistas importam estrangeiros (?)

Não é que a Juventude Nacionalista foi buscar duas bandas estrangeiras – e logo de Espanha (?) – para alegrar a sua festa nacionalista? Mas então onde é que está o nacionalismo? O patriotismo?
Não há bandas em Portugal ao nível do que se faz no estrangeiro? Mas então querem cá estrangeiros ou não? Decidam-se.
.
Alto! Já percebi. A ideia deve ser dar-lhes um arraial de porrada no fim do concerto e expulsá-los logo de seguida. A bem da nação. E, claro, desejar-lhes boa viagem. O respeitinho é muito lindo.

Escrito na pedra

"Não se pode ser uma bestinha ao volante quando se está a ouvir Stan Getz, Charles Mingus ou Miles Davis". Bandeira dixit.
.
Pelo que facilmente chegamos à conclusão de que os portugueses ouvem pouco jazz.

terça-feira, 10 de abril de 2007

National Geographic ou O regresso do verdadeiro herói


Com a chegada da primavera, as espécies que hibernam – como esta aranha – saem do casulo onde estiveram durante todo o inverno.

segunda-feira, 9 de abril de 2007

Lembro que, embora pouco importe, todas as músicas aqui apresentadas são da lavra de moi-même.

Having Fun

sábado, 7 de abril de 2007

Jobs for the "bois"

Ah, carago pra vós, num parais!
A tradição já não é o que era.
E não há maneira de fazer parar os bois...

Agora baixa o Sol

sexta-feira, 30 de março de 2007

Porque é que ele não emigra?

José Pinto-Coelho (JPC) e o seu PNR não querem imigrantes em Portugal. E para que se conste, colocaram um outdoor num “sítio nevrálgico de Lisboa” com a frase bem escarrapachada: “Basta de imigração”. Para dar mais cor ao cartaz, é exibida a imagem de JPC, himself. Que por ironia, até tem cara de ucraniano.
...
Ok. Repatriemos todos os imigrantes. E, já agora, que a França de Le Pen (a grande referência de JPC) faça o mesmo. E o Luxemburgo, e a Alemanha, e a Suiça… Que toda a gente regresse ao país de origem. Que todos os milhares de emigrantes portugueses que trabalham nestes (e noutros) países retornem à pátria. Presumo que JPC não pense que seja um problema. O que propõe ele que se faça a toda essa lusa gente? Passou isto pela sua nacional cabecinha? Indagar-se-á se terão uma boa viagem de regresso? Poderão os portugueses com carta de condução francesa conduzir em Portugal?
...
Mas não seria este fenómeno um novo tipo de imigração? Um outro flagelo? Bom, restam sempre as câmaras de gás…

terça-feira, 30 de janeiro de 2007

Tentação


Se visse este cartaz na rua, perdia a cabeça e votava não.

Masturbação não!


Se, no próximo referendo, as coisas correrem mal lá para os lados do “não”, deixo aqui uma sugestão aos “nões”: Exigir um novo referendo, desta feita, sobre a masturbação masculina. Para além de alguns slogans que proponho, podem inclusivamente reciclar os cartazes actuais, com uma pequena alteração.
(Atenção: apesar da rima, isto não é um poema)
  • Não sujes as mãos. Masturbação não!
  • A bem da Nação, não à masturbação!
  • Não deites o espermatozóide ao chão!
  • Não desperdices vidas!

Pelo sim, pelo não...

Pelo sim, pelo não, todos aqueles que são terminantemente contra o aborto, para serem verdadeiramente coerentes, deveriam também ser contra a masturbação masculina. Quantas carradas de putativos doutores, engenheiros, talentosos futebolistas, manequins saudavelmente anorécticos, cultíssimos apresentadores de televisão, dedicados priores, não são lançados, quais pára-quedistas, directamente para as profundezas dos infernos?