domingo, 29 de março de 2009

Não há nada como algo triste para nos pôr felizes

Agnus Dei, de Samuel Barber.

Depois de ter criado a versão para orquestra de cordas, Barber resolveu fazer uma versão — também magnífica — para coro.